ENTREVISTAS

Entrevista: Conheça a Influencer Literária Mari Santos

Antigamente para termos acesso ao mundo literário, tínhamos que frequentar bibliotecas ou livrarias. Falar com o escritor era coisa rara. Mas a tecnologia, associada as redes sociais, mudou todo este panorama. E o que era difícil, ficou mais fácil.

Atualmente, diversos influenciadores literários desempenham um importante papel na sociedade, que é o incentivo à leitura. Conteúdos são gerados no intuito de estimular ainda mais o ato de ler. Resenhas, indicações, stories, lives são pensadas diariamente por estes guerreiros amantes dos livros.

Para exemplificar o que estamos falando, leia a entrevista com a Influencer Literária Mari Santos, dona da página Sonho de Estante.

1.Apresente-se

Mais conhecida como Mari, meu nome é Mariana e eu tenho 21 anos e sou de Brasília. Sou formada em Design Gráfico, porém, antes fiz alguns semestres de Arquitetura e Urbanismo, mas minhas opções mesmo eram Biblioteconomia e Medicina Veterinária, uma bagunça né!? Além do Design e da Arquitetura, outra paixão muito grande é a fotografia, mas não sei se me graduaria na área.

2.Você desenvolve um trabalho de incentivo à leitura no Instagram. Como e quando você decidiu iniciar este projeto?

Em 2015, quando eu estava no segundo ano do ensino médio, resolvi criar um perfil para falar sobre livros, já que eu estava fazendo isso no meu perfil pessoal, então separei as áreas. No primeiro perfil que criei nem falava muito dos livros, era bem inocente ainda de que não bastava só postar as fotos, foi só depois de três tentativas, três perfis literários diferentes que cheguei ao Sonho de Estante como ele é hoje. Comecei por diversão e atualmente paro para estudar para produzir um conteúdo cada vez melhor.

3.Conte-nos sobre seu projeto.

O objetivo sempre foi poder conversar com pessoas que me entendessem, ou seja, outros leitores, além de incentivar o hábito de leitura e poder conhecer obras novas através das indicações dos colegas. Com o tempo o Sonho de Estante, os livros que eu lia para indicar foram me incentivando a expandir tanto na área de produção de conteúdo, quanto na área profissional. Então, além de criar o canal para ficar mais próxima de uma conversa “cara a cara” com quem me acompanha, passei a fazer ilustrações, marcadores de página, pôsteres inspirados nos livros que lia.

Processed with VSCO with a4 preset

4.Quem foi sua maior influência na área Literária?

Começando pela minha mãe que começou a me ensinar a ler em casa, antes de entrar na escola, minha tia por parte de pai que também gosta muito de ler, então acabava pegando alguns livros emprestados e a família toda sempre incentivou que eu continuasse, então eu ganhava muitos livros de presente.

5.Você cria algum roteiro ou planeja a criação do conteúdo de sua página? Ou as postagens vão de acordo com o que está lendo?

No início de tudo era de acordo com o que eu estava lendo, então tinha meses que eu mal postava nada, pois ainda estava lendo o livro. Hoje eu me preparo com bastante antecedência, então eu sento, vejo o que já li que ainda não falei sobre, o que eu vou ler e quero muito falar sobre, além de pesquisar assuntos para intercalar com as indicações de livro, então eu acabo falando sobre filmes, séries e algumas curiosidades do universo literário.

6.Como você pensa na criação de Lives ou stories? O que tem mais alcance a postagem ou o audiovisual?

Ainda não me aventurei na lives, mas para os stories eu sempre penso em trazer algo mais natural, mais dia a dia, ou para divulgar algum conteúdo que achei interessante. Também gosto muito de interagir com o pessoal porque fica mais fácil de responder. Com certeza o conteúdo audiovisual tem mais alcance, até porque é mais rápido ouvir do que ler, mas eu tento equilibrar os dois.

7.Se você tivesse que indicar três livros, quais seriam? Por quê?

É muito previsível começar por Harry Potter? Acredito que é um universo bem completo e que instiga quem está começando, principalmente, a querer descobrir o que mais pode encontrar nos livros. “Extraordinário” é um livro cheio de reflexões importantes sobre empatia, o que as crianças desse livro ensinam pode tocar o coração de qualquer leitor. E por último, “O silêncio dos livros”, um livro sobre livros, sobre o futuro dos livros e o poder que um livro tem de transformar uma vida, além de ter várias referências a outros livros que você pode procurar para ler depois.

8.Quem é seu maior público? E o que sente quando alguém elogia seu trabalho?

A maioria do meu público são mulheres jovens o que me deixa muito mais confortável em ser eu mesma, porque sei que elas vão me entender. Eu fico muito boba quando elogiam meu trabalho, porque é algo que eu faço com muito amor e dedicação e às vezes eu nem estou tão confiante em relação a algo que postei e ver o retorno positivo me deixa mais feliz e mais inspirada para continuar me esforçando.

9. Geralmente quem lê acaba escrevendo bem. Você já se aventurou como escritora? Se sim, em qual gênero? Se não, pensa em fazer isso no futuro?

Com 6 anos de idade eu venci um concurso literário da minha escola com um poema sobre um passarinho que virava um elefante (risos). Alguns anos depois eu venci esse concurso de novo, com um poema sobre autoconhecimento. Eu tinha um caderno cheio de poemas que na época até pensava em publicar, mas não levei esse projeto para frente. Hoje eu não escrevo mais, mas tenho muitas ideias de livro em mente que, provavelmente, seria uma fantasia.

10.Como você vê o hábito de leitura do brasileiro?

Fico bem preocupada, porque o mundo se move através da economia e se algo não dá retorno ele é desprezado ou substituído, mas, felizmente, o livro ainda é tido como fonte de formação cultural e educacional. Também fico muito feliz em fazer parte de uma comunidade que incentiva esse hábito que, não depende somente do leitor, ou da família, mas de exemplos e incentivos do próprio governo, sei que existem eventos literários em alguns estados, mas a divulgação ainda é pouca, se você não for do meio ou seguir as pessoas certas, acaba não sabendo desses eventos.

11.As pessoas pedem indicação de qual tipo de literatura? E os autores brasileiros, sobressaem aos estrangeiros?

Eu leio muita fantasia e romances históricos e de época, então os pedidos que recebo são mais voltados para esses gêneros, mas também mantenho um projeto de leitura de clássicos, que assusta muita gente né, então quando me vêm lendo um clássico e falando bem de algum, que a leitura foi mais fácil do que imaginei, me pedem para indicar um clássico para quem está começando ou uma edição que tenha uma tradução mais fácil. Mas, também já recebi muitos pedidos de indicação de livro para quem está começando a ler de fato, e aí eu preciso ter em mente que não posso indicar meu livro favorito da vida, então preciso sair da minha zona de conforto também para poder fazer esse tipo de indicação.

12. Contatos e planos para o futuro.

Como sempre quis trabalhar com livro, pretendo transformar o canal e instagram em uma das minhas fontes de renda, viver apenas disso é meio difícil para mim, pois tem outras coisas com as quais também quero trabalhar, tanto na área de design quanto de arquitetura, que pretendo voltar a cursar. O único projeto de leitura que manterei por muito tempo, é a leitura dos clássicos, afinal temos milhares de livros a serem lidos, mas também penso muito em fazer um clube de leitura para fazer outras leituras em conjunto com o pessoal que me acompanha, porém sem previsões para esse clube. Não pretendo deixar de postar em nenhum dos canais, Instagram ou YouTube, mesmo que precise diminuir a frequência de postagens, não me vejo sem esses dois perfis.

Instagram: @sonhodeestante (https://www.instagram.com/sonhodeestante/)

YouTube: Sonho de Estante (https://www.youtube.com/channel/UC18OVCO_jVXP3FZ4yLJhmNQ)

Twitter: @sonhodeestante_

Etiquetas
Mostrar mais

Renato Cardoso

Graduado em Letras pela UERJ FFP. Pós-Graduado em Educação à Distância – Uninter. Atua como professor desde 2006 na rede privada. Leciona Língua Inglesa e Literatura em diversas escolas particulares e em diversos segmentos no município de São Gonçalo. Coordenou, de 2009 a 2019, o projeto cultural Diário da Poesia, no qual também foi idealizador. Editorou o Jornal Diário da Poesia de 2015 a 2019 e o Portal Diário da Poesia em 2019. É autor e editor de diversos livros de poesias e crônicas, tendo participado de diversas antologias. Apresenta saraus itinerantes em escolas das redes pública e privada, assim como em universidades e centros culturais. Produz e apresenta o programa “Arte, Cultura & Outras Coisas” na Rádio Aliança 98,7FM. Hoje editora a Revista Entre Poetas & Poesias. Contato: professorrenatocardoso@gmail.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: