FALA AÍ, JUVENTUDE!

Fala aí, juventude! — Poema: “Ser poesia” — Maria Clara Patrinieri

Ilustração : Der Bücherwurm (“O bibliotecário” ou “O Rato de biblioteca”), de Carl Spitzweg (1850)

— Fala aí, juventude! “Coluna destinada à publicação de textos de jovens escritores (até 18 anos). Então, se você é jovem e quiser ter seus textos publicados aqui no portal, basta enviar para: revistaentrepoetasepoesias@gmail.com (por favor colocar as devidas identificações).”

Olá, querido leitor!

Olha eu aqui, mais uma semana, na missão de alegrar a sua quarentena. O poema de hoje trás uma pergunta, e eu ficaria muito feliz de receber sua resposta nos comentários. Pronto para mais uma jornada ao mundo das minhas reflexões?

Aproveite!

SER POESIA

Talvez poesia seja para os sem rumo

Um norte

Para os tristes

Alegria

Para os felizes

Energia.

Para mim

É sonho

Sonho de ser

De viver

De sentir

Isso é poesia

Isso é viver poesia

Poder ser o que quer

Quando quer

Sentir o que quer sentir

Sem medos

Amarras

Prisões

Aceita ser poesia no mundo da melancolia?

(Maria Clara Patrinieri)

Mostrar mais

Erick Bernardes

A mesmice e a previsibilidade cotidiana estão na contramão do prazer de viver. Acredito que a rotina do homem moderno é a causadora do tédio. Por isso, sugiro que façamos algo novo sempre que pudermos: é bom surpreendermos alguém ou até presentearmos a nós mesmos com a atitude inesperada da leitura descompromissada. Importa (ao meu ver) sentirmos o gosto de “ser”; pormos uma pitadinha de sabor literário no tempero da nossa existência. Que tal uma poesia, um conto ou um romance? É esse o meu propósito, o saber por meio do sabor de que a literatura é capaz proporcionar. Como professor, escritor e palestrante tenho me dedicado a divulgar a cultura e a arte. Sou Mestre em Letras pela Faculdade de Formação de Professores da UERJ e componho para a Revista Entre Poetas e Poesias — e cujo objetivo é disseminar a arte pelo Brasil. Escrevo para o Jornal Daki: a notícia que interessa, sob a proposta de resgatar a memória da cidade sob a forma de crônicas literárias recheadas de aspectos poéticos. Além disso, tenho me dedicado com afinco a palestrar nas escolas e eventos culturais sobre o meu livro Panapaná: contos sombrios e o livro Cambada: crônicas de papa-goiabas, cujos textos buscam recontar o passado recente de forma quase fabular, valendo-me da ótica do entretenimento ficcional. Mergulhe no universo da leitura, leia as muitas histórias curiosas e divertidas escritas especialmente para você. Para quem queira entrar em contato comigo: ergalharti@hotmail.com e site: https://escritorerick.weebly.com/ ou meu celular\whatsapp: 98571-9114.

Artigos relacionados

21 Comentários

  1. Que poesia linda Maria Clara.
    Suas poesias tem enchido meu coração de alegria e esperança de mundo melhor.
    Parabéns pelo seu talento.

    1. Muito obrigada, Patrícia! Fico feliz de saber dos efeitos que a minha poesia pode causar em alguém. Te espero nas próximas publicações!

  2. Eu aceito! E como estou sempre feliz pra mim é energia.
    Obrigada por nos proporcionar beleza em forma de poesia. Parabéns pelo talento e sensibilidade!

  3. Um poema bem enxuto sobre a importância da poesia e do que é estar imerso nesse universo onde a arte se dá através da palavra dita com emoção e comprometimento.
    Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: