Myllena Louback

Texto ¨A ficção que imaginamos¨ de Myllena Louback.

Romances de filmes e livros nos consomem. Consomem nossos corações e aumentam nossas expectativas. Acho que todos os autores desses livros deveriam mostrar a realidade de tudo. Mostrar que não há cartas de amor, beijo de frente à lua, uma declaração super longa e intensa que deixa nossos corações no chão de tanto querer. Mas ao mesmo tempo, nós, meras leitoras, não conseguimos parar de ler e nos conectar com o romance. Gostar tanto de romance e viver dentro deles dá um certo frenesi, uma movimentação intensa, excessiva e tão…tão confortável que não conseguimos aceitar que isso não existe além dos livros.

Resultado de imagem para romance tumblr

John Hughes, produtor dos filmes dos anos 80, é o culpado de todo esse querer feminino insaciável. Quem não gostaria de Jake Ryan te esperando na frente da igreja em Gatinhas e Gatões (1984) ? Quem não gostaria Judd Nelson erguendo a mão ao saber que te conquistou? Ou até um romance do Nicholas Sparks, onde o casal se beija na chuva? Mas, nãããão…minha vida não foi dirigida por John Hughes e muito menos escrita pelo Nicholas Sparks. 

  Nosso mundo é feito de romances reais e concretos, e romances líquidos e inconstantes. Basta saber em qual deles quer viver. E, quando o inconstante te machucar, deixe-se entrar na ficção romântica (mas só por um dia), compre um pote de Nutella e viva o irreal. No outro dia, você põe a sua roupa mais bonita, passe um batom e seja feliz, eu recomendo. 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: