VOCÊ ESCRITOR!

Você, Escritor! – Crônica: “Chá de Camomila” – Giovanna Luiza Bayona

–Você, Escritor!: “Coluna destinada a publicação de textos de escritores acima de 18 anos. Se você é poeta, escritor, trovador, mestrando, doutorando e quiser ter seus textos publicados aqui no portal, basta enviar para: revistaentrepoetasepoesias@gmail.com (por favor, colocar as devidas identificações)”.

Chá de Camomila
Giovanna Luiza Bayona

“A vó vai tomar um chá, você quer?” Eu juro que se eu fechar os olhos que se eu fechar os olhos posso te escutar falando essa frase toda vez que faço um chá de camomila, aquele que a senhora me ensinou a gostar. Apesar de eu me lembrar muito bem, aos poucos o jeito de lembrar fica diferente, a imagem na minha cabeça não é mais a mesma, um pouco desfocada, a voz um pouco mais distante e isso me assusta tanto, me sinto culpada por essas lembranças não serem mais vividas com antes, pelo menos fisicamente, pois no meu coração nada mudou a saudade que sinto é a mesma como se a senhora tivesse ido embora ontem, mas ainda sim os anos passam antes eu era uma adolescente, hoje sou uma adulta. Uma adulta com a mesma rebeldia de sempre, aquela rebeldia que só tinha uma pessoa no mundo que sabia acalmar.

Eu gostaria de saber como seria minha vida hoje se a senhora ainda estivesse aqui, é gostoso imaginar que a senhora teria visto meu discurso na formatura, meu amor pelos livros, meu interesse pela escrita. É bom imaginar que estaria orgulhosa da mulher que sua neta se formou e seria maravilhoso depois de tudo isso ainda ter a senhora lá como meu refúgio e minha âncora.

Porém, é só imaginação, pois apesar de saber que a senhora me guia e me acompanha de longe, eu não tenho mais você. Não tenho mais suas histórias que mesmo as vezes sendo repetidas eu amava ouvir, não tenho mais seu cheiro, o perfume “toque de amor” nunca mais será o mesmo pra mim, não tenho mais sua voz pra ouvir me acordar. Não tenho mais a senhora e sua casinha aconchegante para passar o fim de semana, dormir lá, analisar cada plantinha do quintal, sentir o cheirinho do café da tarde e ouvir o radinho já tocando de manhã, brincar com sua enorme coleção de imãs de geladeira ou ir passear com você no centro da cidade. Não tenho a senhora pra me ensinar a ter fé, mesmo quando tudo está desmoronando, não tenho mais seu abraço e isso de tudo com toda a certeza é o que mais doí.

Hoje em dia é tudo muito diferente, sua casa hoje é só uma casa, um monte de tijolos apenas, nem moro na mesma cidade mais, mudei de estado até, hoje todas as questões e problemas da vida batem na minha porta, enxergo o mundo e as pessoas de outra forma, tento sempre fazer minha parte e escolher as batalhas certas sempre lembrando seus ensinamentos valiosos. Mas, a noite isso muda, naquele pequeno e breve momento em que eu faço o meu chá de camomila, sinto um quentinho no meu coração, lembro de todas as nossas noites juntas e simplesmente volto a ser a Giovanna sua neta caçula recebendo seu amor.

Sinto sua falta, sempre, mas sei que está sempre comigo. Obrigada por tudo e principalmente por me ensinar o valor desses momentos, da vida e ensinar que há uma imensidão para entendermos e que a vida é eterna e que temos nossas “viagens” por ela.

Sinta-se abraçada minha vó, sempre vou te amar.

Mostrar mais

Redação

A Revista "Entre Poetas & Poesias" surgiu para divulgar a arte e a cultura em São Gonçalo e Região. Um projeto criado e coordenado pelo professor Renato Cardoso, que junto a 26 colunistas, irá proporcionar um espaço agradável de pura arte. Contatos WhatsApp: (21) 994736353 Facebook: facebook.com/revistaentrepoetasepoesias Email: revistaentrepoetasepoesias@gmail.com.br

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: