Desabafos & DiscussõesLuiza Moura

Sentimento de gratidão

O sentimento de gratidão vai além da palavra “muito obrigado”. O efeito “muito obrigado” acontece quando alguém nos faz um favor e nós lhe agradecemos com essas duas palavras. Isso é importante porque demonstra que estamos felizes com aquela atitude da pessoa reconhecendo o que ela fez, no entanto, dizer muito obrigado é unilateral, apesar de ser importante. Ficar repetindo as palavras muito obrigado não significa que estamos vivendo o sentimento de gratidão, pois estamos agradecendo a uma pessoa ou a um grupo de pessoas, muitas vezes apenas repetindo essas palavras sem realmente sentir.

O sentimento de gratidão pode ser desenvolvido pelo ser humano, no entanto o método vai depender de cada pessoa, não existindo uma teoria universal para manifestar o sentimento de gratidão. Nós podemos desenvolver esse sentimento de gratidão ampliando nossa visão desde o ser vivo à todas as demais coisas materiais e espirituais, preenchendo o Universo e ganhando com isso melhorias em nossa vida pessoal. Mas, não devemos fazê-lo com essa intenção, pois jamais alcançaremos com o “levar vantagens”.

Sentimento de gratidão é universal e, “muito obrigado” unilateral. Para compreender perfeitamente o sentido e utilidade desse sentimento de gratidão, vamos partir de um exemplo que me fez vivenciar e sentir essa grandiosidade universal. Nós vamos mensalmente, ou semanalmente no supermercado e nunca observamos algo que nos ajudaria a desenvolver esse sentimento, e se o fizermos, ele mudará completamente a nossa vida pessoal. Colocamos tudo o que precisamos no carrinho de compras, e nunca agradecemos a todo o universo de empresas e pessoas que trabalharam para nos fornecer esses produtos facilitando a nossa vida.

Jamais agradecemos às empresas que dão emprego a milhares de pessoas para que possam com o seu trabalho sustentar suas famílias. Apenas pegamos o que desejamos, pagamos e vamos embora sem o menor sentimento de gratidão, não ao produto, mas às empresas e funcionários que trabalharam para podermos desfrutar dessa facilidade. Porque os orientais fazem reverência sem dizer nada? Eles agradecem àquela pessoa que está diante deles e a todos os antepassados dessa pessoa, para ela poder estar presente. Você sabe quantas pessoas foram necessárias, além do seu pai e sua mãe para você existir?

Afinal, você faz parte desse Universo, pois deve trabalhar em algum lugar, ou ser empresário fornecendo empregos para muitas pessoas. Empresário ou trabalhador estão trabalhando para Deus dentro das suas funções e profissão. Quem dá emprego está trabalhando para Deus e ainda paga um salário mensal. Portanto, você tem carro, móveis, televisão, celular, e muitos outros objetos, quantas vezes você teve sentimento de gratidão? Não é ficar dizendo muito obrigado a uma cadeira, mesa, celular, e demais objetos, e sim, agradecer a todas as pessoas do universo porque de alguma forma elas fazem parte da sua vida. Quando você sente gratidão, seu corpo rejuvenesce, sorri, é verdadeiro, isso desenvolve o amor incondicional.

Amor incondicional

Para marcar ainda mais a minha vida a partir desse sentimento de gratidão universal, percebi que estava agradecendo mentalmente a um mundo maravilhoso de trabalhadores divinos, e nesse momento, ampliei meu horizonte como se eu estivesse no espaço sideral olhando para o planeta Terra. Um globo perfeito, bonito de se ver, com o seu colorido dividindo os oceanos, continentes, ilhas, arquipélagos, mas algo chamou a minha atenção. Não havia divisão alguma entre os países, na parte terrestre, pois cada continente era um contínuo separado pelos oceanos, com ilhas e arquipélagos. Olhando do alto considerei a existência do ser humano preenchendo o planeta como o ser inteligente, não o brasileiro, argentino, espanhol, e todas as demais nacionalidades determinadas pela divisão dos países.

Não via nenhum limite lá do alto, que diferenciasse países, pessoas, por sinal, não conseguia ver ninguém, apenas água e terra. Neste momento compreendi o que é amor incondicional. Algumas pessoas dizem sentir amor incondicional pelo animal de estimação, pelos parentes, e demais pessoas com as quais ela tem contato mais íntimo. Isso, no entanto, não é amor incondicional, e sim, amor interesse, no entanto, essa palavra não tem sentido pejorativo, mas é limitada, e mencionada apenas quando temos interesse em alguém porque essa pessoa representa algo especial em nossa vida, como por exemplo, pai e filho, filha, tios, amigos, e demais participantes desse ciclo familiar e de amizade. É a mesma limitação da palavra muito obrigado a uma pessoa.
Amor incondicional, como a palavra diz, não exige nenhuma condição especial para se manifestar, pois é universal, sem distinção de nacionalidades, de escolhas, de comportamento, e direcionado a todas as pessoas, seres e coisas existentes. Não existe, no amor incondicional, qualquer diferença em ser brasileiro, paraguaio, americano, europeu, e todas as demais divisões que são necessárias socialmente para distinguir fisicamente de onde a pessoa veio e para onde ela vai. Mas, o sentimento que aflorou foi o de totalidade, não determinado por escolhas sociais, apesar de necessárias no contato humano, repito, pois quando isso acontece, o amor não é expansivo, nem incondicional, pois ele está limitado à uma escolha sobre quem vai receber ou não, e isso é amor interesse. E, essa pessoa nos fornece o mesmo amor, retribuindo e satisfazendo o nosso interesse pessoal.

Portanto, sentimento de gratidão, do perdão e o amor incondicional garantem o recebimento de energia gratificante preenchendo o corpo humano. A nossa energia se torna positiva (mesmo sem pensarmos nisso), existe o respeito quanto às escolhas do semelhante, independente daquilo que consideramos certo ou errado, pois ela está vivenciando as suas preferências, por isso devemos respeitar e amar a grandiosidade do Universo que fornece para cada pessoa o produto da sua fé, ou seja, as suas próprias escolhas.
(livro Dos Agregados ao Insight volume 2 – R.Kovac)

(Esse texto é de R.Kovac, que nasceu no dia 10 de maio de 1948, na capital do Estado de São Paulo. Analista clínico, especialista em análises clínicas; Psicanalista. Descendente de austríaco, dinamarquês e português. Estudou esoterismo, espiritualidade, religiões orientais, ocultismo. Voltado aos fenômenos além corpo. Desde a infância sempre existiu a curiosidade nesses estudos e saber qual a finalidade da vida material. Principalmente, sobre o que existirá após a morte. Essas pesquisas sempre foram o ponto forte nos estudos pessoais e encontro de si mesmo.)

Participe também dessa coluna! Envie o seu texto (de desabafo ou reflexão) para o email lmsn_91@hotmail.com ou entre em contato pelo instagram @luiza.moura.ef. A sua voz precisa ser ouvida! Juntos temos mais força! Um grande abraço e sintam-se desde já acolhidos!
Luiza Moura.

Mostrar mais

Luiza Moura

Luiza Moura de Souza Azevedo é Natural de Feira de Santana- BA, Enfermeira, Especialista em Saúde Pública. Psicanalista e Hipnoterapeuta. Mestranda em Psicologia e Intervenções em Saúde. Compositora e Produtora Fonográfica. Com cursos de Francês e Inglês avançados e Espanhol intermediário. Imortal da Academia de Letras do Brasil/Suíça. Acadêmica do Núcleo de Letras e Artes de Buenos Aires. Membro da Luminescence- Academia Francesa de Artes, letras e Cultura. Membro da Literarte- Associação Internacional de Escritores e Artistas. Doutora Honoris Causa em Literatura pelo Centro Sarmathiano de Altos Estudos Filosóficos e Históricos. Publicou o livro: “A pequena Flor-de-Lis, o Beija-flor e o imenso amarElo”. Instagram: @luiza.moura.ef

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: