FALA AÍ, JUVENTUDE!

Fala aí, Juventude! Crônica: “O pobre ser-humano/ O nojento ser-humano” – Daniel Carqueja

 

-Ah, o ser-humano, sinto tanta pena de seres como esses.

– Você sente pena?! Como pode sentir pena de um ser tão frio e sem amor, que mata outras espécies e a própria? Francamente, não acredito que sejam racionais.

-Tenha pena dos vivos, principalmente dos que sofrem. Por este motivo meu caro, que eu sinto pena desses seres, o amor deles sumiu, para sobreviver, têm que pisar um no outro, sinto pena disso

– Isso é culpa deles! Eles se esvaziaram do amor! Por culpa deles, o planeta Terra está morrendo, a própria espécie tem indivíduos em que todos possuem os luxos possíveis e outros nenhuma migalha para comer! Não duvido que irão ser extintos em breve.

-É a cultura deles, meu jovem, não sabem como cuidar do planeta, porém ainda há esperança.

-Qual esperança? Eles são vazios, não se importam com ninguém, a não ser eles com mesmos, a única coisa que restou nessas cascas vazias chamadas “humanos” é a fome de poder e soberba, sempre acham que são os donos do universo, acham que estão sozinhos nele.

-Essa esperança é o amor meu jovem, em poucos deles ainda há a chama do amor, e você sempre soube que a chama do amor alimenta a esperança, agora cabe a eles acenderem a o resto.

– De que adianta terem poucos, como você mesmo disse “em poucos deles há a chama do amor” e será impossível que acendam a chama dos outros. Francamente, ainda não me convenci que essa espécie se salve.

-Vejo que não conhece o poder do amor. É o que rege o mundo, ele é mais forte que qualquer diamante, é mais leve que qualquer pena, é mais lindo que a mais bela flor, bem mais contagiante que qualquer doença, mais doce que qualquer fruta, muda mais do que qualquer metamorfose, e é mais puro que a mais pura das águas.

-Eu conheço o poder do amor, meu caro, mas aquilo que você chama “amor” nesses seres é um falso amor, envolto em trevas e avareza, é algo impuro, nojento, triste. Esses seres se revelam a própria encarnação dos sentimentos ruins.

-No fundo todos têm sua chama dentro de si, meu jovem, é só aprender a liberá-la, vai ser difícil a eles liberar a chama, mas tenho cá minhas esperanças.

– Continuo cético quanto a isso. Bem, veremos quem estará certo no final.

– Veremos.

Daniel L. Carqueja possui o olhar aguçado para os dramas humanos, embora reconheça a sua pouca idade. Ele quer compartilhar a sua experiência por meio da escrita.

 

Mostrar mais

Erick Bernardes

A mesmice e a previsibilidade cotidiana estão na contramão do prazer de viver. Acredito que a rotina do homem moderno é a causadora do tédio. Por isso, sugiro que façamos algo novo sempre que pudermos: é bom surpreendermos alguém ou até presentearmos a nós mesmos com a atitude inesperada da leitura descompromissada. Importa (ao meu ver) sentirmos o gosto de “ser”; pormos uma pitadinha de sabor literário no tempero da nossa existência. Que tal uma poesia, um conto ou um romance? É esse o meu propósito, o saber por meio do sabor de que a literatura é capaz proporcionar. Como professor, escritor e palestrante tenho me dedicado a divulgar a cultura e a arte. Sou Mestre em Letras pela Faculdade de Formação de Professores da UERJ e componho para a Revista Entre Poetas e Poesias — e cujo objetivo é disseminar a arte pelo Brasil. Escrevo para o Jornal Daki: a notícia que interessa, sob a proposta de resgatar a memória da cidade sob a forma de crônicas literárias recheadas de aspectos poéticos. Além disso, tenho me dedicado com afinco a palestrar nas escolas e eventos culturais sobre o meu livro Panapaná: contos sombrios e o livro Cambada: crônicas de papa-goiabas, cujos textos buscam recontar o passado recente de forma quase fabular, valendo-me da ótica do entretenimento ficcional. Mergulhe no universo da leitura, leia as muitas histórias curiosas e divertidas escritas especialmente para você. Para quem queira entrar em contato comigo: ergalharti@hotmail.com e site: https://escritorerick.weebly.com/ ou meu celular\whatsapp: 98571-9114.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: