Erick BernardesResenha LiteráriaRESENHAS LITERÁRIAS

Resenha Literária: Livro “Interferência”, de Márcia Silva

Jovens são curiosos e namoros de adolescentes quase sempre são conturbados, previsíveis, mas trabalhos de cientistas, por vezes, exigem engajamentos que vão além do que o leitor esperaria de histórias sobre físicos e astronautas. Junte agora tudo isso em um único livro. Pronto! Está composto assim o cardápio do romance Interferência (2018), primeira obra de ficção de Márcia Silva. O livro vem com o selo da editora Autografia e apresenta lindíssima capa ilustrada pela artista Tatiana Agra, conferindo assim apresentação elegante ao volume construído sobre a temática interplanetária.

Marcia Silva é graduada em Letras com doutorado em Letras Clássicas. Professora de Língua e Literatura Latina e Cultura Clássica há duas décadas, atualmente leciona na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. De acordo com a autora, o gosto pela literatura voltada para o público jovem surgiu junto às leituras compartilhadas com a filha quando esta ainda era adolescente. Daí o interesse especial por esse modelo de composição literária nesta que é a sua obra inaugural.

Embora Interferência não seja obrigatoriamente destinada ao público juvenil adulto, está claro que, ao construir a trama, o texto apresenta protagonistas jovens que se lançam ao desconhecido planeta Krios, e a história de um possível futuro interespacial se revela. Angustiada pela “mesmice” do mundo em que vive, como é típico da adolescência sempre ávida por novidades, a jovem personagem Dora busca desvendar o planeta estranho, onde fixa residência junto à sua mãe também cientista. Como não podia ser diferente, para o bom andamento da trama, imprevistos ocorrem durante a ambientação no planeta Krios. Uma dessas surpresas acrescenta uma pitada de tempero ao enredo, a saber: o relacionamento indevido entre a jovem Dora e o nativo Marvil, habitante local do novo planeta, cuja ascendência remete aos primeiros seres de Krios. Tudo isso proporciona uma série de aventuras com as quais o leitor é capaz de se identificar, por causa da semelhança dos personagens com as pessoas do mundo de hoje cheio de tecnologias.

Segundo o próprio prefácio de Interferência (2018), o leitor que optar pelo romance de Silva terá em mãos “um livro cujo enredo revela um caráter sobretudo provocador, pois encontra-se em franco diálogo com assuntos urgentes: racionamento de água, falta de comunicação entre os homens, intolerâncias sobre questões étnicas”. O romance é o primeiro de uma série de histórias com algumas referências mitológicas misturadas ao enredo futurista. O livro de Márcia Silva traz a público elementos da história clássica greco-romana, por exemplo, a narrativa de Pandora e seu famoso vaso, passando por nomes da literatura universal como William Shakespeare, Franz Kafka e até Machado de Assis. A história possui como fio condutor a invenção de uma língua comum, o UniL, no intuito de proporcionar a comunicação entre os seres (o Comunicador) com os nativos do planeta Krios. Interferência toca em questões sobre éticas e ecopolítica, justamente por apontar problemas como: racionamento de água, relações sociais, questões étnicas, dentre outras atribuições.

 Enfim, para quem se interessa por aventuras espaciais, o romance de Márcia Silva se mostrará excelente, porque apresenta justamente aqueles atrativos acerca de investigações policiais, lutas, amores proibidos e mistérios. Portanto, como conclama a própria quarta-capa do livro de Silva: “fica aqui um convite — e uma ótima viagem — àqueles que decidem embarcar” nessa deliciosa aventura. Mas… cuidado, pois vão entrar em um terreno totalmente desconhecido, onde o leitor será abduzido ao mundo da ficção.

Referências: SILVA, Márcia R. de F. da. Interferência: série Krios. Rio de Janeiro: Autografia, 2018.

Fonte: Jornal Daki

Mostrar mais

Erick Bernardes

A mesmice e a previsibilidade cotidiana estão na contramão do prazer de viver. Acredito que a rotina do homem moderno é a causadora do tédio. Por isso, sugiro que façamos algo novo sempre que pudermos: é bom surpreendermos alguém ou até presentearmos a nós mesmos com a atitude inesperada da leitura descompromissada. Importa (ao meu ver) sentirmos o gosto de “ser”; pormos uma pitadinha de sabor literário no tempero da nossa existência. Que tal uma poesia, um conto ou um romance? É esse o meu propósito, o saber por meio do sabor de que a literatura é capaz proporcionar. Como professor, escritor e palestrante tenho me dedicado a divulgar a cultura e a arte. Sou Mestre em Letras pela Faculdade de Formação de Professores da UERJ e componho para a Revista Entre Poetas e Poesias — e cujo objetivo é disseminar a arte pelo Brasil. Escrevo para o Jornal Daki: a notícia que interessa, sob a proposta de resgatar a memória da cidade sob a forma de crônicas literárias recheadas de aspectos poéticos. Além disso, tenho me dedicado com afinco a palestrar nas escolas e eventos culturais sobre o meu livro Panapaná: contos sombrios e o livro Cambada: crônicas de papa-goiabas, cujos textos buscam recontar o passado recente de forma quase fabular, valendo-me da ótica do entretenimento ficcional. Mergulhe no universo da leitura, leia as muitas histórias curiosas e divertidas escritas especialmente para você. Para quem queira entrar em contato comigo: ergalharti@hotmail.com e site: https://escritorerick.weebly.com/ ou meu celular\whatsapp: 98571-9114.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: